sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Da Alma - "Devemos ser como as criancinhas"



É engraçado como as coisas funcionam.. 
Devido ao trabalho ter começado, depois de umas curtas férias, a minha inspiração fugiu. Ao que parece eu não consigo trabalhar a 100% e manter a inspiração também a 100%. Bem, isto era o que eu pensava. Nestas ultimas 24h eu aprendi algo novo sobre mim que vai parecer óbvio mas que eu nunca tinha visto a acontecer. 
Ontem eu saí a meio da tarde para ir tratar de uns assuntos. A caminho de casa veio-me à mente - "vai ao hipermercado". Lá fui eu, aproveitei e comprei comida para os gatos (eles comem demais..). A caminho das caixas eu decidi passar pelo corredor dos brinquedos e senti-me quase obrigado a comprar uma caixa de LEGO's. Paguei e voltei para casa. Ao chegar a casa eu vou ao correio e vejo uma carta endereçada a mim.. essa carta é da UNICEF. A carta é um pedido de doação (monetária) para combater a malária, e proteger as crianças. Bem, digamos que mal chego a casa o que fiz foi montar a brinquedo e não pensei mais nisso até hoje. 
Hoje, ao acordar, e depois de ontem ainda ter falado com uma amiga sobre o facto de não ter inspiração para escrever um texto, eu olho para a minha secretária e vejo a carta da UNICEF e o boneco montado. Olho as minha escrituras e vejo umas folhas secas oferecidas por uma criança, para eu marcar as páginas dos livros. Olho para a parede e vejo uma folha (protegida do ar) exposta e que também me foi oferecida por uma criança. Tudo à minha volta me estava a inspirar e a guiar para este texto, e consequentemente um discurso para domingo que será centrado nas crianças.

Sempre que tenho falta de inspiração eu oro a Deus para que me ajude a encontrá-la e, apesar de a inspiração me chegar de forma diferente na generalidade das vezes, desta vez ela veio de uma forma bem diferente. Desta vez a inspiração estava à minha volta.
Uma vez escrevi sobre uma experiência que tive com crianças - As criancinhas, e o quanto eu aprendi com elas durante aquela manhã. Passaram muitas semanas desde aquele dia e muito aprendi, com elas, sobre mim. Aprendi que é no meio delas que me sinto bem, como se estivesse em casa. É estranho este sentimento porque o natural seria sentir-me bem quando estou com pessoas da minha faixa etária mas parece que não é o caso. Nós, os mais crescidos, temos a mania de complicar as coisas, de complicar o mundo. Parece que também perdemos a capacidade de brincar e de ser inocentes. O Amor pelos outros, que quando se era criança era algo natural, deixou de o ser. 
Quanto estou perto delas eu sinto Paz e Amor como não sinto em mais lugar algum. Muitas pessoas perguntam pelas bênçãos de um Deus que não conhecem e eu diria que não há maior bênção do que as crianças. Com elas nós aprendemos mais do que lendo todos os livros de ciência e filosofia. O próprio Evangelho nos orienta nesse sentido:

(…) Se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.
Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus
(Mateus 18:3–4)

As crianças, principalmente em tenra idade, são cheias de Amor; os sorrisos são o mais verdadeiro que podemos encontrar; por isso, educar as crianças deve ser o foco de qualquer família. Aliás, devemos ter mais interesse e preocupar-nos mais com a nossa família do que com qualquer outra coisa na vida. Todas as decisões importantes devem ser tomadas com base no efeito que terá na família e essas escolhas começam mesmo antes dessa família existir - no Namoro, nos estudos, escolhas dos amigos, etc..
Apesar de o mundo discutir muito esta questão, um Presidente da Igreja disse o seguinte:

A primeira e mais importante qualidade interior que podemos incutir num filho é a Fé em Deus. A primeira e mais importante acção que um filho pode aprender é a Obediência. E o mais poderoso instrumento que temos para ensinar um filho é o Amor. 
(Pres. David O. McKay)

Se desejamos que nossos filhos sejam como luzes para o mundo então a educação deles deve ser feita em casa, realizadas pelos próprios pais e com base no Amor. Caso os pais negligenciem a educação dos seus filhos então será a sociedade a educa-los.

Como na construção de LEGO's, a construção de uma vida, de uma personalidade, começa pela base, pelas peças fundamentais que darão forma ao resultado final. Amor é a base mais sólida que podemos encontrar e a Fé, a Esperança e Obediência tornam esses alicerces capazes de suportar qualquer tempestade.

Por último, deixo aqui uma foto do boneco ^_^


9 comentários:

  1. Ao mesmo tempo que ía lendo o teu texto
    o meu sorriso crescia.
    Engraçada a forma como vês tudo à tua volta e como
    depois consegues expressar aqui tão bem.

    Enquanto lia, parecia que estava a fazer um roteiro
    seguindo os teus passos:)

    Gostei muito deste texto:)

    Beijinho João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado! :)
      Gostei da descrição que fizeste ^_^

      Beijinhos

      Eliminar
  2. As crianças são de facto a personificação do amor! embora, infelizmente, e consoante o contexto em que vivem, podem deparar-se com o desamor. Por isso sim, é um dever da sociedade, garantir que a base de uma criança seja o AMOR! Parabéns por tao belas palavras! :-)

    ResponderEliminar
  3. João em primeiro lugar: Os Legos fizeram parte da minha infância como o catano! Essa ave está impecável!! Amei. (se bem que se fosse um leão ficava muito melhor ;D )

    Em segundo lugar: Não podia concordar mais com o seu texto, as crianças são o melhor do mundo. E nós, chamados de adultos, devemos guardar esse espírito lindo e manifestá-lo quando tiver que ser. Eu faço-o. É como lamber a tampa do iogurte! A vida era tão mais fácil se não fossemos uns púdicos e admitissemos que quando estamos sózinhos lambemos a porra da tampa do iogurte! Coisa que apenas permiti-mos às crianças que façam! (Bolas esta da tampa do iogurte vai ter direito a post no meu blog xD). É na tampa que está a parte que nos dá mais prazer no iogurte, no entanto crescemos e as regras impostas não nos deixam fazer isso porque... É feio. Blah. Eu faço-o à frente de toda a gente. E o meu maior gozo é olhar para a cara das pessoas a reagir à minha lambidela indiscreta xD

    Adoro putos! Eles são sem dúvida a maior pureza que existe na nossa vida! Devíamos ser nós a aprender com eles, em vez de eles a aprenderem connosco :)

    Cmpts João :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      A sério que queres levar para esse campo?! Para isso seria bem melhor se fosse um guerreiro de espada e escudo! xD

      Acho que o nosso problema, ao crescer, não é ficar pudico é começar a ter mais vergonha e timidez. Nós não lambemos a tampa do iogurte em publico porque "é feio" e temos vergonha de o fazer. É como andar na rua e abraçar alguém.. "o que é que os outros vão pensar? ninguém faz isso!" ^_^

      Nós aprendemos muito com as crianças mas temos a mania de complicar o que é simples.. olha para as crianças quando se zangam. Elas chateiam-se e até choram e batem mas momentos depois já estão a jogar a bola como se nada tivesse acontecido. Eles não guardam ressentimentos e não ficam a "trabalhar" com a dor e tristeza. Elas sabem perdoar porque, para elas, perdoar é um simples acto de Amor. Nós, adultos, teimamos em complicar o Amor ^_^

      Abraço!

      Eliminar
  4. Bolas a correcção automática corrigiu algumas palavras para erros =O Eu não escrevo assim... Juro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixei esta mensagem ser publicada só porque me fez rir mesmo muito xD

      Eliminar

Os comentários são revistos antes de serem publicados. Desta forma eu posso evitar que o blog seja vitima de SPAM.