sábado, 4 de agosto de 2012

Do Tempo IV do Amor VI - Do Vazio.


Acho que falei isto em outro texto mas nestes últimos dias tenho sido assombrado por uma tristeza que não sei explicar. A minha ideia é continuar a sorrir e fazer o meu papel para com o mundo que é olhar e cuidar dos outros, pois acho que é assim que deve ser, esquecer de mim próprio e voltar-me para os outros. 
Quando falo que me devo esquecer de mim próprio falo no sentido egoísta, onde só penso nos meus problemas e o mundo não interessa. Os meus problemas são pequenos comparados com os de muitos. Há pessoas em piores situações, disso tenho a certeza, e por isso eu evito olhar para mim mesmo. No entanto estes últimos dias aquilo que era pequeno se tornou grande. Um vazio que era um simples desejo se tornou uma tristeza que me abala o coração. Sei de onde ela vem, sei o porquê de ela existir, só não sei é como a calar

Vejo-me mais activo em discussões morais e polémicas (no sentido de serem sensíveis e de opiniões múltiplas) e essas conversas, esses comentários que leio, essas opiniões, essas criticas e julgamentos que vejo e ouço, aumentam a minha tristeza. As pessoas deixam-me triste, cada vez mais. Há muito tempo que não sinto uma grande alegria que me encha o coração, há muito tempo que não vejo a felicidade nos olhos de alguém. A procuro em todo lado e não a encontro. Talvez seja eu próprio o cego - sempre disse que eu precisava das coisas mesmo à frente dos meus olhos para eu as ver - ela até pode ter passado por mim e eu não dei por ela passar. Ando à procura de algo e o mundo me distrai com as suas tristezas, com as suas pressões, com as suas discussões sem fundamento, com o seu egoísmo. 

Apenas minha Fé, minha vontade de ser um pouquinho melhor cada dia, o meu esforço para tentar ver a ténue luz ao fundo, me mantiveram à tona de água nestes dias. Sinto-me abençoado por isso pois sei que em outras alturas eu estaria numa depressão ou com esgotamento. Por isso digo que o que eu tenho é tão pequeno quando comparado com os outros mas ainda desejo encher este vazio com uma alegria imensa que só Amor e Felicidade me podem dar. 

Hoje me cansei de tentar ser uma luz no mundo das opiniões, comentários e julgamentos. Decidi que apenas por aqui, através do blog, irei fazer ouvir minha 'voz' pois aqui o mundo é, de certa forma, meu. Aquele que deseja ver deixem-no ver, quem não deseja ver não verá.


Será este o meu último texto antes de uma paragem de uma semana, para longe dos computadores e blogs. Depois destas mini-férias talvez venha mais "entusiasmado".

4 comentários:

  1. Vim aqui parar por acaso, mas este texto podia ter sido escrito por mim. Identifico-me em tantos pontos e faz me sorrir pensar que algures neste mundo existe alguém que "vê" as coisas da mesma maneira que eu. Obrigada :) Rita

    ResponderEliminar

Os comentários são revistos antes de serem publicados. Desta forma eu posso evitar que o blog seja vitima de SPAM.